Confira o passo-a-passo da construção de um galpão para aeronaves

  |   por

Continuando a série de artigos sobre galpões, hoje falaremos sobre os hangares. Um hangar é um galpão destinado ao estacionamento…

Continuando a série de artigos sobre galpões, hoje falaremos sobre os hangares. Um hangar é um galpão destinado ao estacionamento de aeronaves, situados em aeroportos ou heliportos. Acompanhe a leitura e descubra o passo-a-passo da construção de um hangar.

À primeira vista, construir um hangar pode parecer algo muito simples: é só construir um galpão grande o suficiente para caber uma aeronave dentro. No entanto, a construção de um hangar comercial ou privado é um projeto extensivo e que abre um mundo de opções, criatividade e funcionalidade. Começando na fase da concepção e planejamento do galpão e perpassando pelas etapas de desenvolvimento dos projetos, execução e supervisão das obras até a manutenção pós-obra, trazemos aqui um guia em ordem cronológica sobre o que fazer em cada etapa.

Análise e estudo pré-construção

Sem dúvidas não há nenhuma etapa mais importante neste processo que um estudo de viabilidade inicial, para testar as hipóteses e opções, avançando com o modelo que se mostrar mais eficiente para as necessidades daquele cliente e projeto em específico. Começando pelo menos um ano antes da finalização pretendida do projeto e 6 meses antes do início da obra, é nessa fase que a maior parte das decisões são tomadas, um orçamento começara a ser montado em paralelo – e constantemente alterado, no decorrer do processo e das tomadas de decisões e as responsabilidades pelo projeto serão distribuídas aos respectivos profissionais. Ao definir as necessidades e objetivos do cliente (o famoso programa de necessidades), a construtora responsável, junto com a equipe multidisciplinar montada para aquele projeto, irá realizar as pesquisas necessárias para entender o projeto e garantir uma execução perfeita.

O espaço

Garantir o terreno com espaço disponível para o hangar é o primeiro passo. É importante lembrar que, como os hangares são quase sempre construídos em aeroportos de uso público e com grande tráfego aéreo e terrestre, a construção bem sucedida de um hangar deve evitar ao máximo atrapalhar esse fluxo – interromper a alta atividade de aeroportos comerciais e bases aéreas militares pode gerar consequências sérias. 

É uma boa ideia checar previamente como o aeroporto local lida com os hangares particulares, conversar sobre a situação operacional e até mesmo conhecer outros proprietários de hangares para garantir que o projeto de construção seja o menos invasivo possível.

Normas e regulamentos

O aeroporto ou a FAB deve fornecer uma lista com as regras e regulamentos conhecidos como padrões mínimos do aeroporto. Escolha seu aeroporto com sabedoria e preste atenção a esse padrão – entender esses requisitos orientará muitas decisões no seu projeto. Mesmo com a escolha de um local adequado, os empreiteiros e os gerentes do aeroporto precisam estar coordenados desde o princípio e ambos os lados devem estar cientes de informações fundamentais sobre o projeto de construção, entre elas:

  • quanto tempo o projeto levará para ser concluído e como cada etapa será implementada;
  • interferência da construção no tráfego aéreo de entrada ou de saída ou mesmo na passagem de veículos terrestres;
  • distância do canteiro de obras das estruturas vizinhas;
  • quais normas legislativas ou da Força Aérea terão impacto no projeto;
  • medidas de segurança a serem tomadas para os trabalhadores, veículos, ferramentas e suprimentos levados ao local.

De acordo com essas informações, o planejamento será orientado às mudanças e adaptações que se fizerem necessárias. Por exemplo, diferentes equipamentos ou técnicas de construção precisarão ser empregadas se o canteiro de obras estiver muito próximo do tráfego aéreo ou, caso o local esteja próximo de outras estruturas, pode haver uma limitação no espaço de instalação do hangar e suprimentos e equipamentos podem precisar ser mantidos fora do local.

Também será preciso planejar como o trabalho pode progredir durante o período noturno, pois a visibilidade nesse horário é muito baixa nos aeroportos. Guindastes podem precisar ser bem sinalizados ou mesmo retirados por completo, por exemplo.

Levantamento de custos

Todo projeto de construção comercial vive ou morre de acordo com o orçamento e com os hangares não é diferente. E neste aspecto, o processo BIM é fundamental, pois desde o início da concepção, embarca-se informações no modelo, inclusive de custos, que permitem que várias soluções sejam testadas e avaliadas com o decorrer do processo de projetos, possibilitando um fluxo de projetos e obras mais fluido e econômico, tanto por evitar desperdícios e retrabalho e permitir um planejamento mais assertivo, quanto pelo ganho exponencial da qualidade dos projetos, que são desenvolvidos em conjunto sobre a coordenação de um(a) Gerente de Projetos

Pontos de atenção no desenvolvimento dos projetos

O ponto de partida aqui é o número de aviões que você deseja guardar no hangar. Geralmente os galpões privados guardam apenas um avião, tendo quatro paredes e um sistema básico de teto e porta, mas existem outras estruturas e layouts disponíveis para hangares maiores e múltiplos aviões.

O piso dos hangares devem ser projetados para suportar cargas pesadas por longos períodos de tempo, como um concreto de alto desempenho, além de um revestimento protegendo contra os desgastes causados pelo impacto dos aviões. Além disso, o revestimento deve proteger o piso contra qualquer degradação causada por ataque químico nos eventuais trabalhos de manutenção e reparo que possam envolver produtos corrosivos.

As portas do hangar são outro ponto que exige atenção especial no projeto: devem ser grandes o suficientes para permitir que um caminhão-tanque abastecedor de aeronaves totalmente carregado entre e saia com bastante espaço. Uma porta desse tamanho requer componentes fortes o suficiente para levantá-la e baixá-la com facilidade.

Veja todas as opções de projeto disponíveis antes de fazer sua escolha. Lembre-se de orientar suas decisões sempre pelas suas necessidades. Optar por contratar os profissionais adequados para realizar o projeto do seu hangar vai garantir um galpão de alta qualidade e um orçamento preciso, além de colocá-lo em contato direto com as empresas fornecedoras necessárias, tornando esse processo muito mais tranquilo.

Execução da obra: construindo o hangar

Com todos os projetos executivos definidos e compatibilizados, é hora de executar. Existem algumas questões exclusivas da construção de um hangar que devem ser consideradas pela empresa contratada para garantir uma entrega bem-sucedida. Uma das mais importantes é a necessidade de contato próximo entre os trabalhadores da construção e do aeroporto durante toda a obra. Como os aeroportos continuarão ativos durante a execução do projeto, controladores de tráfego aéreo e os gerentes da construção poderão planejar-se com antecedência e poderão manter tudo funcionando coordenadamente.

Os contratados também devem garantir um certo nivelamento em todo o local de trabalho e dentro do hangar. Isso é importante em todo tipo de construção, mas especialmente crucial em caminhos percorridos por aeronaves com motores sensíveis e de alto custo, suspensos apenas alguns metros acima do solo. As exigências para instalação de concreto costumam ser extremamente rígidas.

Outra consideração importante na construção de hangares é o controle de detritos de objetos estranhos (em inglês, Foreign Object DamageFOD). FOD na aeronáutica é qualquer coisa que possa ser sugada pelos motores das aeronaves. Qualquer pedrinha ou pedaço de plástico pode causar danos gravíssimos se entrarem em contato com o funcionamento interno de um motor de avião, e é por isso que algumas precauções devem ser tomadas no canteiro de obras, principalmente em relação ao fluxo de veículos, disposição das ferramentas e controle de limpeza no local.

Manutenção pós-obra

Tudo pronto! O hangar foi construído e todos os planos devidamente executados. Mas uma coisa que você não pode esquecer é a manutenção pós-construção no seu hangar. Basicamente isso vai consistir em:

  • mantê-lo limpo: limpe o chão, mantenha as mangueiras enroladas, cabos presos e preste sempre muita atenção a detritos;
  • segurança contra incêndio: trabalhar próximo a dispositivos elétricos e substâncias inflamáveis ou explosivas exige todo o cuidado. Garanta todos os dispositivos de prevenção necessários e siga os regulamentos à risca;
  • portas do hangar: mantenha-as sempre lubrificadas.

Essas e outras instruções irão constar no Manual de Uso, Operação e Manutenção (MUOM) recebido pelo cliente após a entrega da obra, sobre o qual a engenheira Kelly Miranda, Gerente de Projetos da Amplus, explica:

“O Manual de Uso, Operação e Manutenção é um guia sobre como utilizar e operar os vários recursos que  o empreendimento oferece, com o melhor desempenho, conforto e segurança.

O MUOM deve apresentar desde informações básicas do imóvel como os agentes envolvidos na construção e concepção do empreendimento, além de uma breve explicação sobre todos os sistemas das edificações, desde a fundação até o acabamento.

Ele contém as instruções de manutenção dos sistemas do imóvel e procedimentos  de limpeza. Apresenta também informações sobre a garantia do imóvel e dos equipamentos e componentes utilizados na construção. Recomendamos que você tenha bastante atenção nessa parte, pois nela você encontra o que precisa saber para evitar a perda das garantias e a quem recorrer. 

É com as informações do MUOM que o cliente mantém-se informado sobre as manutenções preventivas do imóvel, as quais o ajudarão a evitar grandes problemas no futuro.”

Construir um hangar pode ser um processo trabalhoso, mas se você estiver devidamente preparado e com a equipe certa, tudo será muito tranquilo. Estar ciente de todas essas informações acima já pode lhe ajudar bastante na hora de realizar a construção do seu hangar, mas você pode contar com a Amplus durante todas as etapas nesse processo. Construtora referência na construção de galpões, na Amplus cada projeto é único e pensado para a realidade de cada cliente.

Conheça a nossa forma de trabalhar e faça um orçamento conosco!

Alexandre Roger