Acompanhe as novidades e fique por dentro

7
mar

Conheça os principais tipos de orçamentos de obras

Por Jhonata Belchior

Independentemente do tipo de obra, o custo é sempre um ponto vital para o sucesso do empreendimento. Logo no primeiro contato com a construtora o cliente normalmente questiona o investimento total ao final da obra. E isso faz sentido, pois não faz sentido vislumbrar algo que foge a realidade financeira do investidor. Porém, não é possível que a construtora ofereça um preço assertivo em uma conversa sem uma análise mais profunda do projeto. Essa estimativa só pode ser oferecida após um orçamento, por mais simples que este seja.

Orçamento de obra nada mais é que o ramo da engenharia de custos que calcula o preço total do empreendimento. O orçamento prevê todos os serviços que serão executados na obra. Cada um desses serviços tem uma série de insumos associados a ele, que compõe material e mão de obra. Esses insumos são precificados, chegando assim ao valor de execução. Após chegar a esse valor devem ser inclusos no orçamento os encargos, impostos e despesas da construtora de forma que se possa chegar a um preço de venda.

Como o orçamento é apresentado?

Um orçamento pode ser apresentado basicamente de duas formas. Essas formas não interferem em nada na precisão do mesmo, apenas na forma que o cliente enxerga esses dados. Comumente trabalhamos com os seguintes tipos:

  • Orçamento analítico: detalha o preço unitário dos diversos grupos como, mão de obra, material, empreitada, verbas e equipamentos.
  • Sintética: mostra apenas o preço unitário e o preço total do serviço.

Se feito da forma correta, não muda nada para a construtora gerar o orçamento em qualquer um desses dois formatos. Por isso essa decisão é tomada com base nas necessidades dos clientes.

Mas afinal, qual é o grau de precisão de um orçamento?

A resposta dessa aclamada questão é: DEPENDE.

Depende de que?

  • Tipo de orçamento e seu objetivo
  • Qualidade dos projetos
  • Flutuação nos preços de insumos
  • Produtividade

Experientes engenheiros de custos costumam dizem que orçar o valor exato é uma grande utopia. Todo orçamento se trata na verdade de uma estimativa pois tudo se baseia em um trabalho de previsão. É impossível precisar com exatidão todos os processos que serão executados em uma obra. Porém, com uma certa experiência é possível chegar a um elevado grau de certeza acerca do custo final do empreendimento.

Outro ponto importante é o tipo de orçamento. Muitas vezes não é necessária ou mesmo possível uma precisão maior, então a abordagem deve ser diferente. Em geral trabalhamos com 5 tipos de orçamento. Eles estão expostos na tabela abaixo.

Principais fatores

Pela tabela  pode-se observar que um dos fatores que mais influencia na precisão do orçamento é a qualidade dos projetos. Um projeto bem elaborado oferece todas as informações necessárias para a execução e faz com que o orçamentista não precise fazer considerações adicionais. Isso minimiza a possibilidade de mudanças durante a obra.

Outro fator que a ser considerado é a flutuação nos preços de insumos. Do momento em estes foram cotados até o momento em que ele é comprado na obra é comum que hajam diferenças no preço. Em obras mais curtas, em que o orçamento é feito próximo a execução essa diferença não é tão relevante. Já em obras mais longas o contrato de execução normalmente é vinculado ao INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) de forma que os preços sejam automaticamente ajustados.

A produtividade é outro ponto que pode causar um grande furo no orçamento. Nós trabalhamos com uma régua de produtividade que prevê valores para situações completamente favoráveis e completamente desfavoráveis de execução. Esses fatores passam por grau de repetição e condições climáticas e dentro de uma análise da obra definimos o ponto mais provável de produtividade para cada serviço. Caso a produtividade prevista seja muito divergente da real além do orçamento, o planejamento também é prejudicado.

Algumas dicas

Comentado os maiores aspectos que podem fazer um orçamento chegar perto do exato, elaboramos algumas dicas para a elaboração de um bom orçamento.

  1. Destrinchar todos os serviços em uma EAP, utilizando todos os 4 níveis de níveis de detalhamento;
  2. Levantar todos os quantitativos e atribuir composições de custo para todos os serviços;
  3. Levantar os custos indiretos e custos de acessórios que a construtora terá com a obra;
  4. Cotar todos os insumos em no mínimo três fornecedores;
  5. Traçar uma Curva ABC de insumos e serviços;
  6. Revisar os índices de produtividade e adequá-los a possível realidade da obra;
  7. Inserir os impostos e definir o lucro desejado e taxas acessórias;
  8. Encontrar o preço de venda;
  9. Realizar o fechamento da planilha com o preço de venda calculado.

Se interessou por esse assunto? Clique aqui e tenha acesso a um exemplo de orçamento analítico desenvolvido pela Amplus Construtora.

Tem alguma obra em mente? Entre em contato conosco e marque uma visita! Podemos te ajudar desde a concepção do projeto até a execução.

  • Compartilhe: