Construir um edifício comercial ou um condomínio corporativo? Entenda as diferenças

  |   por

Apesar de serem muito parecidos entre si, esses tipos de empreendimento costumam despertar dúvidas sobre suas especificidades, afinal também existem…

Apesar de serem muito parecidos entre si, esses tipos de empreendimento costumam despertar dúvidas sobre suas especificidades, afinal também existem diferenças significativas. É preciso entender as particularidades de cada um e descobrir qual é o investimento ideal de acordo com o porte do seu negócio ou perfil de investidor.

Antes de tudo, tanto os edifícios comerciais e quanto os corporativos possibilitam um espaço para que uma empresa desenvolva suas operações e possa interagir com o cliente. No entanto, enquanto o edifício comercial reúne diversas empresas e profissionais no mesmo espaço, estando ligados pelo mesmo segmento ou de ramos completamente diferentes, o condomínio corporativo trata-se de uma estrutura utilizada por apenas uma empresa, geralmente apresentando a marca da companhia. Também são denominados corporativos os edifícios em que ao mínimo uma laje é locada para apenas uma empresa.

Entendendo os condomínios corporativos

Esse tipo de empreendimento imobiliário, também conhecido como corporate, visa atender às necessidades de uma empresa de médio a grande porte ou de várias grandes empresas que dividem a ocupação dos pavimentos. No mesmo espaço, a empresa dispõe de uma estrutura suficiente para grandes equipes de funcionários e todos os recursos humanos, além de equipamentos e mobiliários, possibilitando a execução de todas as etapas de atendimento ao cliente no mesmo local. Presidentes, diretores e gerentes também podem contar com salas especiais.

Geralmente localizados dentro das principais cidades e regiões nobres, uma das características mais marcantes desse tipo de empreendimento são as imagens das marcas nas fachadas. Aqui a empresa tem a liberdade de dar atenção a questões como design de interiores e projetos de arquitetura mais ousados, tornando possível a criação de ambientes muito específicos, afinal essa estrutura será o core da empresa. Dentro dos pavimentos, cada empresa personaliza os espaços da forma que preferir, fazendo com que os projetos sejam concebidos pensando nessa flexibilidade de layouts e utilizações.

Geralmente quem investe nesse tipo de construção são empresas que já contam com um grande capital ou que se juntam em parceria com outra empresa devido a interesses similares, mas existe também a possibilidade de injetar capital em uma obra de corporate já em andamento ou ainda construir sob a demanda de uma empresa que necessita exatamente de uma estrutura como essa para locação, esquema conhecido como built to suit, grande tendência de investimento no mercado imobiliário da qual já falamos aqui no blog.

Por se tratarem de estruturas de alto padrão, algumas características comuns desse tipo de edifício são o pé direito alto, recepção, amplos elevadores e tecnologias mais avançadas em vários ambientes e processos. Outras características comuns de serem observadas nos condomínios corporativos são as certificações ambientais e a promoção da sustentabilidade na construção e manutenção do edifício, proporcionando redução de custos e promovendo uma imagem positiva. A flexibilidade de uso também é um ponto muito positivo desse tipo de investimento, suprindo às demandas mais específicas da empresa.

Características dos edifícios comerciais

Como já mencionamos antes, o principal ponto que diferencia o edifício comercial é que aqui várias empresas e profissionais proprietários de unidades particulares dividem uma mesma copropriedade. Como esse modelo comporta unidades menores devido à estrutura mais simplificada que a do condomínio corporativo, os edifícios comerciais se apresentam como um padrão mais acessível a um público que não precisa de espaços tão grandes, podendo atender às necessidades de micro e pequenas empresas, além de profissionais liberais, que possuem um fluxo menor de clientes no local de trabalho.

O investimento na construção de um edifício comercial pode ser feito tanto para fins de venda quanto de locação, como nos condomínios corporativos. O que muda é que, em caso de manutenções e reformas, os custos ficam por conta do proprietário da sala ou do próprio edifício. No entanto, caso o usuário da sala pretenda realizar adaptações no espaço que não estejam relacionadas à manutenção, precisará da autorização do proprietário e de arcar com essas despesas. Alguns pontos relevantes que tornam o investimento nessas construções bastante atrativos são a estabilidade da renda proveniente dos aluguéis devida à baixa vacância, a alta demanda de locatários por esse tipo de imóvel e o consequente bom retorno financeiro.

Independente da modalidade escolhida para o investimento, as condições da sua construção devem ser estudadas minuciosamente, para fazer uma aplicação inteligente de seus recursos financeiros e ter mais segurança quanto ao tempo de recuperação do capital. Um planejamento bem estruturado com o levantamento de todos os ativos financeiros disponíveis é uma das partes do trabalho completo oferecido pela Amplus Construtora. Saiba mais sobre a nossa forma de trabalhar e construa com a melhor!

Alexandre Roger