Acompanhe as novidades e fique por dentro

25
ago

Entenda o processo de forma

Por

As formas na construção civil representam um dos principais itens e processos a serem realizados durante uma obra. Sua importância vai desde a correta moldagem das estruturas de concreto até a resistência dos esforços do concreto fresco, como peso próprio e sobrecargas acidentais. Todo o processo de execução de formas deve atender as NBR’s 14931, 15696 e 15575-2. Confira todo o processo abaixo.

  • O processo envolvendo as formas começa na limpeza. É realizada a limpeza geral da laje, procedendo e destinando os resíduos conforme orientação dos aspectos ambientais prezados pela construtora e averiguados pelo responsável de gestão ambiental da obra. Realizada toda a limpeza do local, são feitas as conferências dos equipamentos e ferramentas a serem utilizados no processo de fixação das formas, para garantir toda a qualidade e segurança requisitado pelo serviço. Também deve ser feito a análise de risco das atividades: APT (obrigatória) e PTE (atividades em altura).
  • Todos os eixos principais da obra devem estar bem alinhados e definidos de acordo com o projeto de eixos. Devem também ser conferidos pelo mestre de obras e o encarregado de carpintaria. Na ocorrência de irregularidades/interferências devem ser adotados eixos secundários a fim de garantir a perfeita locação dos pilares e vigas. 
  • É realizada a verificação das dimensões atendendo ao projeto estrutural da obra. Verificação do prumo nos pilares (tolerância de +- 1 mm por metro), assim como seu nível, tomando como referência a laje anteriormente concretada ou no caso da primeira laje, o térreo.
  • Aplicação do desmoldante para facilitar a etapa de desforma.
  • Posteriormente é feito o travamento e encaixe dos painéis, escorando-os de forma correta  a impedir a movimentação das formas nas duas direções, eixos x e y. Estes devem estar bem fixados e firmes para se evitar aberturas durante a concretagem.
  • É realizada a averiguação dos esquadros dos pilares de acordo com os eixos da obra (tolerância de +- 2 mm), assim como a estanqueidade das formas travadas e posicionadas para evitar folgas excessivas que permitam a saída da nata de cimento.
  • Logo após, bate-se o fundo de viga e o deixa bem escorado, é posicionada a armação e depois feito o fechamento das vigas (painéis laterais). Depois é feito o fechamento de laje, nivelamento de fundo de viga, nivelamento de lajes e alinhamento lateral das vigas (tolerância de +- 1 mm por metro).
  • E finalmente é realizada a etapa de desforma. O processo se inicia pelos pilares e se repete para as formas laterais das vigas, soltando-se os travamentos e fazendo a retirada dos painéis. São retirados os tubos de PVC utilizados como galgas e travamentos, assim como o escoramento das lajes e vigas, mantendo a quantidade de escoras devidamente posicionadas de acordo com o projeto a permanecer pelo tempo especificado também em projeto (Re-escoras). Lembrando que não é permitida a retirada de todas as escoras para posterior re-escoramento. O tempo de espera determinado em projeto deve ser respeitado. Por fim são retirados o barroteamento e os painéis das lajes. Assim, é feita a limpeza dos painéis, deixando-os prontos para o próximo ciclo de produção e o local deve ser totalmente limpo. Os resíduos provenientes desse processo devem ser devidamente separados e dados a destinação correta de acordo com a atenção ambiental.

É importante ressaltar que quanto mais bem feito o travamento e escoramento das formas, menos problemas na hora da concretagem.

 

  • Compartilhe: