Inovação: os impactos da Indústria 4.0 na construção civil

  |   por

Todos os dias em nossas casas e trabalhos utilizamos tecnologias que anos atrás eram inimagináveis. A inovação que experimentamos em…

Todos os dias em nossas casas e trabalhos utilizamos tecnologias que anos atrás eram inimagináveis. A inovação que experimentamos em nosso cotidiano começou há alguns anos no setor industrial, trazendo para os mais diferentes setores um novo modelo de produção: a Indústria 4.0. Esse modelo, também conhecido como Quarta Revolução Industrial, é caracterizado por um ambiente de produção onde tudo está conectado por sistemas cibernéticos – desde o maquinário simples até os sistemas de computação mais complexos, em todas as etapas da produção.

Infelizmente, o setor da construção em geral mantém uma posição mais conservadora, e ficou um pouco para trás em relação a outras indústrias na adoção de tecnologias avançadas. Há cerca de apenas uma década é que a construção foi passando de construir tudo no canteiro de obras para aproveitar a tendência da produção em massa de peças modulares, por exemplo. Isso significa que o setor, especialmente nas regiões mais interioranas, ficou parado em algum lugar entre o modelo 1.0 e o 2.0.

No entanto, a liderança do setor tem passado para uma nova geração de executivos com mais conhecimento em tecnologia e que estão mais interessados nas oportunidades de digitalização. À medida em que o mercado se atualiza, muitas empresas têm se empenhado em saltar para o novo modelo, adotando a produção em massa (Indústria 2.0), a automação de computadores (Indústria 3.0) e o uso de inteligência artificial e da Internet das Coisas (Indústria 4.0), tudo ao mesmo tempo.

O que é Indústria 4.0, afinal?

Uma das principais demandas da Indústria 4.0 é criar uma produção mais customizada, buscando atender cada vez mais às necessidades de personalização dos produtos. Essa proposta de produção também busca flexibilizar a manufatura para atender a toda cadeia de produção, além de apropriar-se da interação entre objetos e máquinas em rede na fábrica. 

Para alcançar esses objetivos é que novas construtoras e incorporadoras estão buscando, cada vez mais, aplicar as tecnologias da Indústria 4.0 em seus processos, principalmente na automação e autocontrole do maquinário, na gestão de metadados dos clientes e na manufatura do produto final.

Antes de discutirmos as aplicações práticas dessas tecnologias na construção, vamos entender melhor os conceitos trazidos por esse novo modelo:

Cyber-Physical Systems (CPS)

Os CPS são a integração entre a computação, as redes e todos os processos físicos. São os CPS que trazem para a construção civil e os demais setores da indústria a tendência de disponibilizar informações e serviços em qualquer lugar e em tempo real através da internet. 

Internet of Things (IoT)

Traduzido como  Internet das Coisas, esse conceito refere-se ao uso de redes de internet para conectar e transmitir dados entre softwares, máquinas e objetos com sensores inteligentes. Aplicado ao contexto industrial, isso significa basear a produção em uma rede de objetos físicos todos integrados entre si.

Big Data

O termo pode ser definido como as ferramentas e práticas de TI utilizadas para gerenciar e analisar um grande volume de dados, vindo de várias fontes, que seriam impossíveis de ser analisados por sistemas tradicionais. Essa análise de dados em larga escala é muito útil para conferir mais agilidade e confiabilidade nas tomadas de decisão de uma empresa ou estudar com precisão o comportamento do consumidor final, por exemplo.

Cloud Computing

A computação em nuvem corresponde a tudo o que entendemos como computação hoje em dia (armazenamento, processamento, softwares e aplicativos) só que armazenado na internet, permitindo o acesso remoto a partir de qualquer dispositivo.

Machine Learning

Também chamado de aprendizado automático, esse conceito diz respeito ao campo de estudo da inteligência artificial (AI). O aprendizado de máquina traz aos computadores a capacidade de reconhecer padrões conforme o uso e aprenderem sozinhos comandos e respostas ao usuário, sem a necessidade de programação prévia.

Indústria 4.0 na construção civil – na prática

A aplicação das tecnologias de integração e automação trazidas pela Indústria 4.0 diretamente nos processos da construção civil já é uma realidade. No entanto, a transição para o novo modelo requer, além do investimento em inovação, constantes treinamentos e capacitação dos profissionais do setor no domínio dessas tecnologias, adaptando o mercado brasileiro à essa nova realidade.

BIM

A sigla para Building Information Modeling, assunto que já abordamos bastante aqui no blog, diz respeito ao modelo de compatibilização e integração de projetos e todas as informações que constituem a obra, criando um modelo virtual único e muito preciso que irá orientar todas as etapas da construção.

Desde a modelagem, o BIM integra também a gestão de custos, simulações, soluções para pré-fabricação, análises do consumo de energia, certificações necessárias e até as análises pós-ocupação através das nuvens de dados. Esta retroalimentação de dados entre todos os estágios é um dos maiores benefícios que a Indústria 4.0 traz para a realidade da construção civil, pois confere aos projetos uma maior diversificação sem perder a unidade entre as múltiplas disciplinas envolvidas, além de possibilitar o acesso em tempo real ao andamento do projeto.

Realidade aumentada

A realidade aumentada é a criação de elementos virtuais interativos que simulam ou interagem com um ambiente real. Com a virtualização do projeto em 3D que é permitida pelo BIM, essa tecnologia pode ser aplicada no design de projetos, sendo utilizada para revisar pontos mais complexos do projeto, rever dimensões, posicionamentos, etc. Estes projetos virtuais também melhoram a compreensão do projeto no canteiro de obras, com a visualização precisa da aplicação de cada material e cada instalação. 

Além disso, a realidade aumentada também se mostra como uma ferramenta útil para treinar a mão de obra, através de possíveis testes e simulações e até para melhorar a experiência do cliente, que terá uma visão imersiva de todo o projeto do empreendimento.

Pré-fabricação

A pré-fabricação é a construção ou montagem de partes do projeto fora do canteiro de obras, uma tendência na manufatura de materiais que está muito além do concreto, sendo cada vez mais comum encontrar até mesmo edificações complexas construídas com todas as estruturas moduladas. A customização em massa anunciada pela Indústria 4.0 e possibilitada pela pré-fabricação significa trazer à realidade da construção civil a combinação ideal entre a produtividade e a qualidade.

Confira este artigo e saiba mais sobre a construção modular.

Robôs e drones

A aplicação de robôs e máquinas automatizadas também são uma grande aposta do setor para aumentar a produtividade no canteiro de obras. A aplicação de drones no acompanhamento da obra e a utilização de equipamentos robotizados têm ganhado mais espaço e a tendência é que se continue aprimorando o nível de automação dessas máquinas ao passo em que diminui-se o custo necessário para mantê-las operando.

Novos softwares e aplicativos

Ao lado do BIM, os investimentos em novos programas e aplicativos também já são uma realidade muito palpável no dia-a-dia das construtoras. A mudança na cultura dos operadores envolvidos diretamente no processo da construção tem tornado o uso de tablets e outros dispositivos no controle e execução do projeto uma prática cada vez mais comum. 

Entre as soluções desenvolvidas encontramos softwares como o Roff it, que auxilia o projeto de cobertura, ou o Construct, que aprimora a produtividade do projeto acompanhando todas as atividades. O desenvolvimento de soluções como essas colaboram para que a indústria da construção possa detectar melhor as necessidades dos usuários e reunir competências para formar uma rede de produção mais complexa e eficaz.

A Amplus tem orgulho de estar entre as construtoras disruptivas que já estão vivendo a realidade da Indústria 4.0. A inovação é um dos principais valores que orientam a nossa atuação e a tecnologia está cada vez mais presente em nossos processos. Temos um departamento de inovação dentro da empresa dedicado exclusivamente a buscar soluções possam impactar positivamente tanto em nossos projetos como em todo o cenário da construção civil.

Estamos sempre em busca de nos aproximar de startups e profissionais criativos. Se você tem uma boa ideia, algum produto ou serviço, clique aqui e converse com a gente!

Alexandre Roger