Acompanhe as novidades e fique por dentro

27
jul

Passos da Concretagem

A concretagem é um dos momentos mais importantes e também críticos de uma construção. Estar bem alinhado quanto aos critérios de mão de obra, materiais, equipamentos e dispositivos de segurança são essenciais para um bom andamento desta etapa. Aqui vamos listar alguns requisitos básicos para a execução de uma concretagem:

    • Carpintaria

      Etapa importantíssima para a concretagem, uma vez que o prumo de pilares, nivelamento de lajes e vigas, travamento de todas as formas refletem diretamente na qualidade da concretagem e no custo de toda obra adiante. O concreto bombeado exerce uma pressão maior sobre o escoramento lateral, se compararmos com o lançamento convencional. Assim, é importante que o travamento das formas e o escoramento sejam reforçados e acompanhados por um carpinteiro durante o processo de concretagem.

    • Armação

      Verificação de toda armação requisitada em projeto e acompanhamento com um profissional armador durante a concretagem, uma vez que a grande movimentação e vibração do corpo concretado é intensa.

  • Verificações

    Tais serviços envolvem verificação da consistência e limpeza das formas, conferência da armadura (quantidade e se estão bem dispostas) e se as instalações que deverão ser embutidas, como tubos elétricos e hidráulicos, estão devidamente posicionadas. Lavar as formas antes da concretagem.

  • Transporte

    Interfere diretamente nas definições das características do concreto (trabalhabilidade desejada, por exemplo), na produtividade do serviço e, se houver, na elaboração de um projeto para produção. Para a escolha e o dimensionamento do sistema de transporte do concreto, considere:

    • O volume a ser concretado.
    • A velocidade de aplicação.
    • A distância – horizontal e vertical – entre o recebimento e a utilização.
    • O arranjo físico do canteiro.
  • Lançamento

    Devido à maior probabilidade de segregação do concreto durante as operações de lançamento, a consistência deve ser escolhida em função do sistema a ser adotado.

    • Nos pilares, a altura de queda livre do concreto não pode ser superior a 2 m, pois pode ocorrer a segregação dos componentes.
    • Nas lajes e vigas, o concreto deve ser lançado encostado à porção colocada anteriormente, não devendo formar montes separados de concreto para distribuí-lo depois.

 

 

  • Adensamento

    Atividade que tem como função retirar os vazios do concreto, diminuindo a porosidade e, consequentemente, aumentando a resistência do elemento estrutural. Tem também a função de acomodar o concreto na fôrma, para tornar as superfícies aparentes com textura lisa, plana e estética. Geralmente, o adensamento é realizado mecanicamente e, neste caso, o equipamento mais utilizado é o vibrador de imersão. Observações relevantes:

    • Nunca vibrar a armadura para garantir aderência entre aço e concreto.
    • Evitar fibras as formas para garantir integridade da estrutura
    • Excesso de vibração produz segregação. Cessar assim que a superfície tornar lisa e brilhante.
  • Acabamento superficial

    Para a definição da espessura das lajes, pode-se empregar taliscas de aço, madeira ou argamassa. Essa etapa defini-se a textura desejada. Podemos ter os seguintes tipos de laje:

    • Convencionais: aquelas em que não são realizados controles do nivelamento e da rugosidade superficial.
    • Niveladas: possuem controle do nivelamento, para que o contrapiso seja aplicado com a espessura definida no projeto.
    • Acabadas: também conhecidas como laje zero, oferecem um substrato com rugosidade superficial adequada, bem como controle de planeza e nivelamento, sem a camada de contrapiso.
  • Cura

    A realização da cura é fundamental para a garantia da resistência desejada na estrutura, pois evita a ocorrência de fissuração plástica do concreto. No caso de lajes, recomenda-se a cura por um período mínimo de 7 dias. O concreto deve estar saturado com água até que os espaços ocupados pela água sejam inteirados por produtos da hidratação do cimento.

  • Controle tecnológico do concreto

    Durante a concretagem, deve-se coletar amostras aleatórias do concreto a ser lançado para a realização de ensaios de controle de resistência. A construtora ou o responsável pela obra poderá contratar uma empresa para efetuar o controle tecnológico do concreto. Caso a resistência do concreto resulte em um valor abaixo do especificado em projeto, o projetista deverá ser consultado para determinar o que pode ser feito.

 

Observações importantes

  • Durante a concretagem, é fundamental a presença de um engenheiro na obra para as etapas de lançamento, adensamento e cura do concreto. Somente pessoas especializadas e com conhecimento técnico em engenharia podem definir o que fazer e o que não fazer durante uma concretagem. Um erro durante o processo de concretagem pode acarretar problemas sérios futuros como fissuras, trincas e nos casos mais graves, as patologias podem causar até o desabamento da estrutura.
  • Deve-se respeitar o tempo limite de 2 horas e 30 minutos entre a saída do caminhão da usina ou sua produção em obra e o lançamento. TEMPO DE PEGA.
  • Utilização de equipamentos de segurança individuais e coletivos são premissas básicas também para o bom andamento de uma concretagem. A utilização de EPI´S como cintos de segurança com trava quedas, botas apropriadas, óculos escuros, protetores auriculares além de proteções coletivas como proteções laterais de formas e linha de vida são fundamentais.

 

 

Escrito por: Paulo Victor Cruvinel

  • Compartilhe: