Tudo sobre a obrigatoriedade do BIM

bim obrigatório

 

A partir de janeiro de 2021, o BIM, que em português significa Modelagem da Informação da Construção, deverá ser utilizado…

A partir de janeiro de 2021, o BIM, que em português significa Modelagem da Informação da Construção, deverá ser utilizado obrigatoriamente em todas as execuções diretas ou indiretas de obras e serviços de engenharia realizados pelos órgãos públicos. Ou seja, a obrigatoriedade do BIM já é uma realidade nas construções públicas!

A notícia já não é novidade para o setor, uma vez que foi anunciada no Decreto n° 10.306 do dia 02 de abril de 2020. Porém, com este anúncio em meio à pandemia da Covid-19 no Brasil, muitas empresas acabaram por não priorizar e entender mais sobre o assunto. Por isso, neste artigo te apresentaremos tudo sobre a obrigatoriedade do BIM.

O que é BIM?

Já falamos sobre o BIM há algum tempo aqui no blog. Porém, se você é novo no BIM, este guia básico irá apresentá-lo aos princípios que fundamentam este importante processo, além de esclarecer a que ponto estamos na implementação do BIM no Brasil e as etapas para a implementação do BIM obrigatório.

A Modelagem da Informação da Construção é um processo de combinação de informações aliada à tecnologia para criar uma representação digital de um empreendimento que nos permite simular o edifício e compreender o seu comportamento antes da construção real começar!

Mais do que apenas modelos 3D, o BIM diz respeito à criação, gestão, processos, tecnologias e compartilhamento de informações ao longo de todo o ciclo de vida de um empreendimento, com o objetivo de melhorar a eficiência e a comunicação entre todas as partes envolvidas no projeto.

Quais são os objetivos da obrigatoriedade do BIM?

imagem de prédios em construção, com gruas em volta e céu com nuvens ao fundo

Considerando as diversas vantagens e benefícios que o BIM pode gerar para as construções civis, o Governo Federal lançou uma estratégia nacional para disseminação do BIM, a qual foi batizada de Estratégia BIM BR – Construção Inteligente

Com esta grande e obrigatória difusão da tecnologia e metodologia em todo o país, o Governo estabeleceu alguns objetivos. Entre eles estão: 

  • Garantir uma maior produtividade na indústria da construção civil; 
  • Melhorar a qualidade nas obras públicas; 
  • Garantir os prazos das obras, por meio de uma maior precisão no planejamento; 
  • Maior previsão de despesas extras e pontuais em todas as obras públicas; 
  • Contribuir para a implementação da sustentabilidade na construção civil; 
  • Reduzir resíduos relacionados à demolição das obras antigas; 
  • Incentivar a qualificação profissional na área; 
  • Reduzir os custos, em geral, no ciclo de vida das construções.

É importante ressaltar que para alcançar todos estes objetivos, o Governo Federal desenhou estratégias e ações específicas para cada uma delas.

Etapas de implementação do BIM obrigatório

Nesta agenda de ações para garantir a implementação do BIM no Brasil, a principal delas é a obrigatoriedade por si só. Porém, a exigência acontecerá de modo gradual no país. Assim, a implementação será dividida em três fases:

Primeira fase – Janeiro de 2021

Já no começo do ano de 2021, será exigido que o BIM seja aplicado em todos os projetos de arquitetura e engenharia, destinados a realizar novas construções ou ampliar e reformar as obras já existentes. Além disso, também é exigido BIM na detecção de interferências, na extração de quantitativos e na geração de documentação gráfica a partir desses modelos. A partir desta data, todo e qualquer projeto de arquitetura e engenharia, coordenação de projetos e compatibilização  deverão ser produzidos através da tecnologia.

Segunda fase – Janeiro de 2024

Passados três anos de adaptação dos arquitetos e engenheiros, a partir de 2024 também será exigido que o BIM seja utilizado também na execução de obras públicas. Os modelos deverão contemplar algumas etapas da obra, como o planejamento de execução, a orçamentação e a atualização dos modelos e suas informações como construído (as built), além de todas as exigências da primeira fase.

Terceira fase – Janeiro de 2028

A partir de janeiro de 2028, o BIM deverá abranger todo o ciclo de vida da obra, considerando as atividades do pós-obra. Dessa forma, será aplicado pelo menos em todas as construções novas, reformas, ampliações e reabilitações, quando classificadas como de média ou grande relevância. Além de conter os usos previstos na primeira e na segunda fase, também deverá ser aplicado também nos serviços de gerenciamento e na manutenção dos empreendimentos após a conclusão da obra.

O Governo Federal espera que empresas que representam 50% do PIB da Construção Civil no Brasil passem a utilizar o BIM. Com a Estratégia BIM BR, até o momento apenas 9,2% das empresas do setor já implantaram o BIM. Este número representa 5% do PIB da Construção Civil em nosso país. Dos primeiros rascunhos ao projeto completo e finalizado, a iniciativa do Governo tem como finalidade promover um ambiente adequado ao investimento em BIM e toda a sua difusão no Brasil. Na prática, o Comitê de Gestão da Estratégia BIM BR já lançou um Portal completo e também a Plataforma BIM para auxiliar os profissionais.

Para entender esta metodologia com detalhes, leia também “O que é BIM e porque usar na sua construção”.