Orçamento em BIM, como fazer?

orçamento em bim visto do monitor de um computador

  |   por

Antes de começar a falar sobre orçamento em BIM, gostaria de lembrar que já falamos sobre o BIM há algum…

Antes de começar a falar sobre orçamento em BIM, gostaria de lembrar que já falamos sobre o BIM há algum tempo aqui no blog. Inclusive sobre sua obrigatoriedade no Brasil a partir de 2021 e sobre o seu uso em instalações hospitalares

Sobretudo, a Modelagem da Informação da Construção é um processo de combinação de informações aliada a modelos 3D, para criar uma representação digital de um empreendimento, seja ele um galpão, hospital ou mesmo um prédio comercial. Sendo assim, nos permite simular o edifício e compreender o seu comportamento antes da construção real começar! 

Além disso, mais do que apenas modelos 3D, o BIM diz respeito à concepção, gestão, processos, tecnologias e compartilhamento de informações ao longo de todo o ciclo de vida de um empreendimento. Por isso, tem como objetivo melhorar a eficiência e a comunicação entre todas as partes envolvidas no projeto. 

Orçamento em BIM

Uma das utilizações do BIM, é para orçamentação de obras.  

A princípio, proprietários e investidores frequentemente se deparam com situações de orçamentos que ficam acima do esperado e com o surgimento de custos não previstos durante o processo, que os forçam a ampliar o orçamento ou cancelar o projeto.

Para reduzir esse risco de extrapolação de orçamentos e estimativas não confiáveis, empreendedores adicionam contingências às estimativas ou um “valor reservado para lidar com as incertezas que surgem durante a construção”. Estimativas não confiáveis expõem os proprietários a um risco significativo e aumentam artificialmente todos os custos da obra (Sacks et al, 2021). 

dois homens trabalhando em uma construção

Além disso, a orçamentação de uma obra é influenciada por diversos fatores. Isso inclui as condições de mercado, que variam ao longo do tempo, modificações de projetos e questões relativas à qualidade. 

Sendo assim, o BIM proporciona uma fonte precisa e computável para a realização de estimativas e quantitativos, além da realimentação de custo mais rápidos para modificações nos projetos. Isso é importante pois, nas fases iniciais do projeto, como o estudo de viabilidade e concepção, a possibilidade de influenciar nos custos é mais alta, conforme mostrado na figura a seguir.

À medida que as soluções de projeto vão avançando e a obra sendo executada, o impacto das tomadas de decisões nos custos e performance do empreendimento reduz e o custo das alterações aumentam de forma inversamente proporcional, como mostra o gráfico a seguir. 

gráfico que explica como o orçamento em bim pode diminuir os custos do projeto quando comparado a um processo tradicional

Extração de quantidades a partir de um modelo BIM para orçamentação

Bem, agora que você já entendeu os benefícios do orçamento em BIM para um empreendimento e sua importância de atuar juntamente com o desenvolvimento dos projetos nas fases preliminares, é necessário estabelecer um conjunto de diretrizes para que os quantitativos de projeto estejam de acordo com os critérios de orçamento. 

Antes de mais nada, é necessário ter em mente que no BIM, os quantitativos não são “automáticos”. Há uma série de premissas, análises e passos a serem desenvolvidos para que a informação extraída seja base para o orçamento. Além disso, erros na extração de quantitativos podem custar caro na obra. Portanto, não pule estas etapas para que as quantidades sejam adequadamente levantadas e extraídas dos projetos. 

explicação de como é uma modelagem do orçamento em bim

Para isso, no primeiro passo é necessário ter definido qual objetivo se quer alcançar com o processo de orçamento em BIM. Algumas perguntas a serem respondidas:  

  • Qual percentual de redução em relação à estimativa pretende alcançar?  
  • Quais principais serviços serão alvo desta redução?  
  • Como será o processo de comunicação e gestão destas informações durante o processo de projeto? 

Depois, o segundo passo é definir quais informações serão necessárias para a extração dos quantitativos de orçamento e como essas informações serão imputadas dentro dos modelos (projetos). Por exemplo:  

  • O serviço de reboco interno e externo deverá ser modelado de forma diferente?  
  • Quais serão suas espessuras?  
  • As requadrações serão levantadas pelo perímetro da esquadria ou modeladas separadamente?  

Consequentemente, essas e outras informações são definições da construtora sobre a sua gestão de custos e execução de obra, dentro do seu processo interno. Além disso, é importante ressaltar que, além de definir as informações, é necessário conferir se as mesmas estão corretamente modeladas e indicadas dentro dos projetos. 

Por fim, o terceiro passo é extrair as informações necessárias para o orçamento. Para isso, as principais formas de realizar, são: 

  1. Exportar as quantidades dos objetos para um software de orçamentação. Exemplo é a exportação/importação de planilhas de quantitativos do Revit para o Sienge; 
  2. Exportar os objetos e quantidades para um software de orçamentação por meio de uma ferramenta add-in proprietária (plugin). Ou seja, através de um plugin, os objetos do modelo e quantidades são enviados ao software de orçamentação, exemplo, o Vico Office. 
  3. Exportar objetos por meio de formatos de intercâmbios de arquivos, por exemplo, o formato IFC. Neste caso, não é necessária uma ferramenta intermediária para exportação para o software de orçamentação, ou seja, os modelos no formato .IFC recebidos pelo projetista poderão ser importados diretamente no software de orçamento. Eles possuem suas próprias ferramentas de visualização e manipulação do modelo que tiver sido importado. O Rubk e Vico Ofice são dois exemplos desse tipo de software. 
print da tela de um computador no software de fazer orçamento em bim

Concluindo, o ponto crucial não é saber qual software será usado para a quantificação, mas se as informações dos modelos BIM são confiáveis e adequadas à realidade do empreendimento. Seja como for, quem vai saber pontuar isso é quem investe no produto imobiliário, que dimensiona os projetos e quem vai construir a obra, deixando explícita a necessidade do gerenciamento destas informações de forma estruturada. 

Ficou interessado em saber mais e em como aplicar o BIM para orçamentação da sua obra? Entre em contato com a gente! 

Departamento de gestão de controle de obras